Category Archives: Século de Ouro Espanhol

Por século de ouro entende-se a época clássica e apogeu da cultura espanhola, essencialmente desde o Renascimento do séc. XVI até o Barroco do séc XVII. Sujeito a datas concretas de acontecimentos chaves, abarca desde a publicação da Gramática Castellana de Nebrija em 1492 até a morte de Calderón de la Barca em 1681

Século de Ouro Espanhol – “14”

Oh doce noite! Oh cama venturosa! Testigos do prazer e da alegria, dizei-me que julgais vós da porfia daquela dama doce e amorosa. Como se me mostrava rigorosa! Como de minhas mãos ela fugia! Como duas mil injúrias me dizia, … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “12”

Esse chegar de repente e abraçá-la, esse pôr-se a lutar ele com ela, esse cruzar suas pernas com as dela, aquele poder mais ele e derrubá-la; aquele vir abaixo, e ele sobre ela, e ela cobrir-se e ele destapá-la, esse … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “5”

- Que fazeis, bela? – Olho-me a este espelho. – E porquê nua? – Pra melhor olhar-me. – E em vós que vedes? – Que quero gozar-me. – E porque não vos gozais? – Sem aparelho? – O que vos … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “4”

Primeiro é abraçá-la e apalpá-la, e num instante com beijos entretê-la. Primeiro é provocá-la e encendê-la. depois lutar com ela e derrubá-la. Primeiro é insistir e arregaçá-la, as pernas pondo entre as pernas dela. Primeiro é acabar isto com ela, … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Jardim”

Quem não sabe de amor e seus efeitos· não se intrometa e cale o que vier, pois aqui só falamos com discretos. Qualquer que o seja, ou sê-lo quiser, terá licença de olhar minhas flores e delas escolher as que … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Vilancico”

Porque me beijou Perico, 
 porque me beijou o traidor. Enquanto, mãe, eu dormia, 
 do que muito me arrependo, 
senti a mão dele que ia 
 a camisola me erguendo; 
 se bem que agora me ria, 
 lembrá-lo … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , , , , | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Soneto (2)”

Consentiu certa dama na porfia 
 insistente do seu enamorado. 
 Julgou, por seu nariz, estar provado 
 que ele outro tanto alhures possuía. Mas enganou-se nessa profecia: 
 bem pouco o dele, e o dela demasiado, 
 de sorte … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , , , , | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Soneto”

À beira d’água estando certo dia, 
 descuidada, uma dama primorosa, 
 de mirar seu inferno desejosa 
 e vendo-se ali só, sem companhia, a saia ergueu, que vê-lo lhe impedia 
 e, feliz de ver coisa tão preciosa, 
disse, … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , , , , | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Oitava”

Entre delgada e gorda é a figura 
que a dama deve ter quando formosa; 
 e a meio da negrura e da brancura 
 se põe a cor de todas mais graciosa; 
 a meio da dureza e da brandura … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , , , | Comments Off

Século de Ouro Espanhol – “Letrilha”

Por terem argolas, 
me pediu Teresa 
sacar com presteza 
 meu cajado e bolas. Tirei de bom grado 
 cajado e gabão. Se me vissem, João, 
 jogar com cajado! 
 Libertou-se Inês 
 da roupa e do afogo, 
 … Continue reading

Posted in Século de Ouro Espanhol | Tagged , , , , | Comments Off