Arquivos do Blogue

Florbela Espanca (Vila Viçosa, 8 de Dezembro de 1894 — Matosinhos, 8 de Dezembro de 1930), batizada como Flor Bela de Alma da Conceição Espanca, é uma conhecida e popular poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotismo, feminilidade e panteísmo.

Florbela Espanca – “A um moribundo”

Florbela Espanca – “Charneca em flor”

Florbela Espanca – “Frémito do meu corpo”

Florbela Espanca – “Horas rubras”

Florbela Espanca – “Os versos que te fiz”

Florbela Espanca – “Se tu viesses ver-me, hoje, à tardinha”

Poetas