Arquivos do Blogue

Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa e da Literatura Universal, muitas vezes comparado com Luís de Camões.

Fernando Pessoa – “…de não cumprir um dever”

Fernando Pessoa – “Dá surpresa de ser”

Fernando Pessoa – “A Tabacaria” (versão do CD “Os 10+”)

Fernando Pessoa – “Presságio”

Fernando Pessoa – “Súbita mão…”

Fernando Pessoa – “Terrível bebé” – carta a Ofélia.

Fernando Pessoa – “Deixa-me…” (Sem música)

Fernando Pessoa – “Cartas a Ofélia” e “Cartas de amor”

Fernando Pessoa/Álvaro de Campos – “A Tabacaria”

Fernando Pessoa – “A morte é a curva…”

Fernando Pessoa – “Mar Português”

Fernando Pessoa – “Não venhas…”

Fernando Pessoa – “Ilumina-se a Igreja por Dentro da Chuva”

Fernando Pessoa – “Acordo de noite subitamente”

Fernando Pessoa – “Vão breves…”

Fernando Pessoa – “Poeta fingidor”

Fernando Pessoa – “Não digas nada”

Fernando Pessoa – “Un soir à Lima”

Fernando Pessoa – “O menino de sua mãe”

Fernando Pessoa – “Mostrengo”

Fernando Pessoa – “Tenho dó…”

Fernando Pessoa – “Gato…”

Fernando Pessoa – “Fosse eu…”

Fernando Pessoa – “De aqui a pouco…”

Fernando Pessoa – “É boa…”

Fernando Pessoa – “Do meio da rua…”

Fernando Pessoa – “Meus versos são…”

Fernando Pessoa – “Se tudo o que há é mentira”

Fernando Pessoa – “Agulha”

Fernando Pessoa – “Natal”

Poetas