Nota biográfica

Leonor Alvim - Entre Portugal e o Brasil vai deixando a sua Arte que se desdobra entre a pintura e a poesia.

Leonor Alvim – “Medusa”

10.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Longínquas paragens irás sozinho
Nas tuas asas pairo, sou penas e sou garras
Que finco em teus flancos de aventuras…
Estarei presente em todos os suspiros, olhares
Amores, parte da tua carne que devoro
E em fino mármore se transforma
Quando em ti penso e te envolvo em meu abraço!

facebooktwittermailby feather

Leonor Alvim – “Encontrar outra vez…”

10.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Só mais uma vez esta emoção
Que acelera o passo e faz bater mais rápido
No peito…o coração!
Que o mundo adoça e traz essa imensa alegria
Como sinos festivos nos ouvidos
Rosas no regaço
E pura doçura de amar o mundo!

Só mais uma vez esse olhar
Que cruza o teu e te abrasa
Vertigem dourada e amor que abraças
Tão leve e jovem, sem idade nem conta
O espaço é tua pertença o mundo espera
E o teu amado sussurra no vento breve
A brisa que passa e te afaga o rosto!

Esquecer tudo e ser apenas o sorriso
Essa chama breve que marca
O começo…e o fim do mundo!

facebooktwittermailby feather

Leonor Alvim – “Cinzas”

10.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Não sou. Sinto-me, sem corpo rósea fímbria
De pensamento que suspira. Entre ais e enfado
Burilado por insatisfeitos desejos
Que sinto e toco, na redonda forma de teus seios
Enrugados no prazer que te adivinha, quando te penso
Construindo a tua mão que me agarra
Naufraga de sonhos e desencontros
Que sinto e sofro neste casulo sozinha!
Esta casa de sombras e de medos
Como caderno de segredos
Dia a dia junto e escrevo
Me desenho e decoro, lição marcada
Por um mestre que me castiga
Quando omito…

Viver é obrigação que carrego, goste ou não
Pergunto-me o que faço nesta hora
Em que sentir está lá fora… e não sei se vai entrar!

facebooktwittermailby feather