Gottfried Benn – “Ciclo”

13.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

O molar solitário de uma prostituta
que morrera no anonimato
tinha uma aplicação de ouro.
Os restantes, como por mudo acordo tácito,
tinham caído.
O funcionário da morgue arrancou-o,
pô-lo no prego e foi dançar.
É que, dizia ele,
só o que é terra à terra deve voltar.

(1912)
(tradução de João Barrento)