Nota biográfica

Maria Alberta Trovisco Garcia Menéres de Melo e Almendra (n.Vila Nova de Gaia, 25 de Agosto de 1930),professora, jornalista e escritora portuguesa. É mãe da cantora Eugénia Melo e Castro.

Maria Alberta Menéres – “Água-Memória”

08.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Que súbita alegria me tortura
alegria tão bela e estranha
tão inquieta
tão densa de pressentimentos?

Que vento nos meus nervos
que temporal lá fora
que alegria tão pura, quase medo ao silêncio?

Pára a chuva nas árvores
pára a chuva nos gestos,
interiores contornos
divisíveis distâncias
ultrapassáveis gritos
que alegria no inverno,
que montanha esperada ou inesperado canto?

Facebooktwittermailby feather

Maria Alberta Menéres – “Pedras”

08.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Que súbita alegria me tortura
alegria tão bela e estranha
tão inquieta
tão densa de pressentimentos?

Que vento nos meus nervos
que temporal lá fora
que alegria tão pura, quase medo ao silêncio?

Pára a chuva nas árvores
pára a chuva nos gestos,
interiores contornos
divisíveis distâncias
ultrapassáveis gritos
que alegria no inverno,
que montanha esperada ou inesperado canto?

Facebooktwittermailby feather

Maria Alberta Menéres – “Sósia”

08.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Ele, não era ele. Era o igual,
o que sorvera os frutos transparentes
que tombavam do rosto
de outra mãe.

Mas tinha o mesmo andar
a mesma raiva
de concentrar os passos imponentes
no poderoso círculo

Ele não era ele. Era o igual,
mas escondia na alma que restava
uma bala perdida e rebrilhando
ao sol como um pedaço de cristal.

Quando o prenderam e o condenaram
em vez do outro que este sim
salvara,
nunca os olhos pararam de brilhar.

Quem era ele, se assim tomava
sobre os seus ombros o destino alheio
que alheio já não era, mas o seu
próprio destino procurado ou não?

Ele não era ele. Era o igual.
Mas quando a bala o procurou
no peito,
encontrou sua vítima perfeita.

Antologia da Poesia Portuguesa Contemporânea, Lacerda Editora,
1999 – RJ, Brasil

Facebooktwittermailby feather

Oitava HORA

10.09.2009 | Produção e voz: Luís Gaspar

Com poemas de Maria Alberta Menéres (3 poemas), Alda Lara (3 poemas(, Alexandre O’Neill (2 poemas), António Maria Lisboa (4 poemas), Cesariny (2 poemas), Fernanda de Castro (5 poemas), Irene Lisboa (3 poemas) e Sidónio Muralha (4 poemas)

Facebooktwittermailby feather

106 – Maria Alberta Menéres

14.10.2007 | Produção e voz: Luís Gaspar

As palavras de ouro de hoje foram escritas por Maria Alberta Menéres, autora que a par da sua actividade poética, desenvolve um importante trabalho pedagógico no âmbito da educação literária infantil e publicou vários livros para a infância e juventude incluindo poesia, contos, teatro, novelas e adaptação de clássicos.

Facebooktwittermailby feather