Nota biográfica

Saúl Dias, pseudónimo de Júlio Maria dos Reis Pereira. Nasceu em Vila do Conde a 1 de Novembro de 1902. Já em adolescente mostrava uma clara apetência pela cultura, publicando poemas num Semanário da sua terra. Em 1919 matricula-se em Engenharia na Faculdade de Ciências do Porto (concluído em 1928). Entretanto, matricula-se também na Escola de Belas-Artes dessa cidade, já que a sua paixão eram as belas-artes.

Saúl Dias – “Amei-te”

16.03.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Amei-te
porque o teu olhar numa tarde se encheu de lágrimas,
e falaste em morrer, e tremeste de medo.

Contudo
não eras mais que uma flor corrupta,
dessas que a vida enleia e usa
e depois atira para uma sarjeta lamacenta.

Mas, para mim, eras toda inocência, toda pureza branca.
Porque a inocência é um dom de Deus,
o dom só concedido
àqueles que mais ama.
Por isso, os homens só aparentemente sujam
as pequeninas rosas.

Ah! tivesse eu forças para seguir-te,
embora de longe, mas atentamente,
ajudando-te a subir o agreste calvário!

Saúl Dias, in “Sangue (Inéditos)

facebooktwittermailby feather