Nota biográfica

Rosa Maria, nasceu a 13 de Dezembro de 1952, na vila de Amareleja, Alentejo, de onde saiu com 18 anos indo residir em Sintra, depois de passagens por Angola e Brasil. Estudou contabilidade, mas por opção deixou a carreira para se dedicar aos filhos. Participou, recentemente, na Antologia “Entre o sono e o sonho” da Chiado Editora.

Rosa Maria – “Morri ontem, meu amor…”

04.03.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Morri ontem meu amor…vesti de cinza o meu corpo noite

Percorri os farrapos dos meus sonhos…amordacei os gestos

Vesti o meu olhar de estrelas cadentes…tentei enganar a morte

Prendi nas mãos a penumbra…caminhei sobre os meus restos



Morri ontem meu amor…docemente fechei as mãos ao cansaço

Caminhei sem mim…serenamente deixei correr todas as lágrimas

Adormeci no esquecimento…perdida entre o tempo e o espaço

Despi da noite o luar…desfolhei as rosas…bebi todas as mágoas



Morri ontem meu amor…o crepúsculo venceu a madrugada

Meu olhar tocou a mágoa…o meu corpo frio afagou a morte

Enlaçou nas mãos a eternidade…caminhou rumo à alvorada

Despido de ternura…adormeceu sereno nos braços da noite



Morri ontem meu amor…tão cansada de ser…tão nua…tão noite

Tão perdida de estar…tão ausente de viver…tão despida de sentir

Folha solta ao vento…nuvem negra vagando na sombra da morte

Por entre rosas…por entre cardos…deixa-me meu amor partir



Morri ontem meu amor…despida da dor que me cobre o corpo

Perdida dos sonhos que teci…rasgando os silêncios que gritei

Num tanger de viola…num sussurro quase mudo…quase rouco

Na minha alma quase branca…na eternidade que chamei



Morri ontem meu amor…no aconchego do teu corpo ausente 

Envolta na solidão…ficou a lembrança duma lágrima perdida

Poisa em mim a noite…a noite negra…tangendo um canto dolente

Num murmúrio em silêncio…chamo por mim…choro pela vida

facebooktwittermailby feather