Nota biográfica

António Pedro da Silva Chora Barroso (Lisboa, 28 de Novembro de 1950) é um cantor, autor-compositor e músicoportuguês, com cerca de 30 álbuns gravados desde a década de 70. Paralelamente, foi docente e escritor publicado.

Pedro Barroso – “O sexo comanda a vida”

07.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Os jogos começam cedo

no descobrir colectivo

no gesto subentendido

no procurar sem saber


Tanta falta, tão escondida

tanta mentira mentida

tanta busca de aprender

e a vontade a mandar,

e os adultos a não querer


e as coisas a acontecer…


Depois, vem o corpo e manda;


vem a sorte e o acaso

mais a vida convivida

que nos ensina sabores

preferências e valores

coisas que vão dar azo

a uma culpa indefinida…


Paixões, ímpetos, calores,

amores breves no recreio

aventuras sem ter freio


- E o sexo comanda a vida


E desculpa-me Gedeão

homem maior, professor,


há momentos em que creio

que mais que o sonho e o valor

mais que o talento ou a dor

mais que a vida acontecida

mais mesmo que o próprio amor

mérito, glória ou louvor.


Tem dias, secretos dias

tem horas, secretas horas

momentos acres, desejos.


Em que nos vem um ardor

uma razão cá de dentro

mais forte que o pensamento


Soprando mais do que o vento

na montanha mais subida.


Nesses momentos sabemos, 

neste modo em que vivemos,


que o sexo comanda a vida…


Não que não sonhe a justiça

sonho perfeito de mim;


Não que não busque valores

exegeses superiores.


Mas olhando à minha volta

o desejo que anda à solta

mais a raiva fratricida

não posso deixar de ver.


Na cupidez, nos negócios

nas promoções,
no valor

que faz subir e descer

esta bolsa do viver.


Nem certeza, nem verdade

nem riqueza garantida


Ai amigos! Ai cidade!


- O sexo comanda a vida.


Essa menina bonita

que rebenta de esplendor,


no rolar lento das ancas

no lamber sábio da boca

vai ter muito mais valor.


Que o valor que nada vale

dessa outra,
assustada, 

sabedora das matérias

competente e aplicada


Mas borbulhenta,
feiosa,

sem graça,
quase fanhosa

vinte valores no trabalho

mas negativa no jeito

sem lábios,

quase sem peito…


- Que lugar vai ter?

Que saída?


- Cientista,
tradutora?


- Excelente investigadora?


Ai, desculpa-me,
Gedeão
que injustiça tão sofrida

não há respeito sequer

é difícil ser mulher!

- Mas o sexo comanda a vida.



Mas cara amiga,

te digo


Se o jovem executivo

que te é apresentado

alto, composto, perfeito

elegante, bem vestido

encadernado a preceito


Apertar a tua mão

de um jeito mais que estudado

e te sorrir num bailado

e te falar no ouvido.


É mais que certo e sabido

perante um cantor de fado

não há norma na medida

nem recato nem respeito

nem olhar bem comportado


- Tu sentes calor no peito!…


- O sexo comanda a vida…


E se pensam que a razão
a
busca da tal subida

é a riqueza,

o dinheiro

ter carros,
poder,
fortuna

e a vida favorecida…


A mim, dá-me a sensação

que o sucesso financeiro

é só uma contribuição.


- Apenas mais um caminho

para servir na corrida

acessória à sedução.


Pois desculpa-me Gedeão

mais que o sonho a que presida,

por desgoverno,
paixão
loucura fútil,
pressão,

por estupidez animal…


Ditadura visual

ou pecado venial

da tal utopia querida

nada sobrou,

nem moral.


- O sexo comanda a vida!