Paulo Afonso – “Quero-te”

17.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Estejas onde estiveres, nesse mundo fantasia, quero-te nas profundezas do amor e nas intimidades do acto consumado, para que saibas que a paixão é um mero caminho para a consolidação dos corpos extasiados pela magna noção da épica condição do Ser.
Quero-te despida de preconceitos na magia do luar que abrilhanta a nossa condição de dois amantes da vertente lunática do mundo que gira em movimentos iguais, e nós, em gestos ritmados fugimos a esse mundo em viagens lunares como dois elementos da terra prometida. Procuramos, em segredo, construir o nosso próprio paraíso.
Quero-te sedenta de palavras, as que embalo para oferecer-te como uma flor ou como um castelo para que possas viver nesse mundo principesco das maratonas da fantasia.
Ainda que o tempo, esse marasmo que se apodera das nossas horas perdidas nos afaste dos nossos desejos, nos invada com barreiras reais que a vida nos faz nascer, ainda que os atropelos possam protelar a nossa conquista feita de persistência, ainda assim, quero-te enquanto souber que poderás existir escondida num corpo qualquer, enquanto sentir que também me queres, Musa vestida de amor, despida pela carícia cor do sol, serás o meu luar das minhas noites de solidão, enquanto o nosso caminho não se cruzar na utopia do segredo em sequências mágicas que adornam o nosso querer.
Quero-te x Musa vestida de poetisa nesse corpo de mulher!

facebooktwittermailby feather

Paulo Afonso – “Pirata do Mundo”

17.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Estou ancorado ao porto
de abrigo demente
sou um barco pirata
de créditos efémeros
em que trago
tripulantes da espada
perdida.
Pompeio bandeiras do nunca
em esmeradas lacunas
sou um sonho perseguido
sou um acto por cumprir
Envolvo-me nas marés
percorrendo um mundo imaginário
de lés a lés
entre as mazelas do sempre
e as apatias da solidão negada
sou um pirata
discordante
disfarçado
Aguardo o assalto ao tempo
o momento oportuno
de resgatar ao mundo!

Meu tesouro profundo!

Sou o abrigo pirata
o barco demente
vestido de pomposa
anormalidadex

Sou o pirata do mundo!

facebooktwittermailby feather

Paulo Afonso – O Amanhã”

17.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Navego no rio cor de fogo
sinto-te
nessa árdua ausência
e o pôr-do-sol
foge-me das mãos
como este dia enigmático.
Navego só
com a solidão das águas moribundas

por ora,
sinto-me assim

preso nos desejos
no seio das inépcias

o que tiver que acontecer
só o amanhã dirá!

facebooktwittermailby feather

Paulo Afonso – “Dono do Mundo”

17.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Procurei o dono do mundo
queria saber quem manda
na alegria
na emoção contida
na razão
na ilusão de cada dia
Queria conhecer
tão poderoso
que comanda a vida
que decide entre o sim e o não
E os caminhos que percorri
levaram-me
(a pergunta)
trouxeram-me
(a resposta)
na simplicidade das coisas
descobri
O dono do mundo
é o coração
mas quem manda aqui
é o pensamento
que compõe o querer
de cada um

Em cada coração
em cada pensamento
entre muitos, corpos
há um dono do mundo

(do seu mundo)

facebooktwittermailby feather

Paulo Afonso – “Carta de amor”

13.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Querida,
Acordei agora e encontrei-te ao meu lado, senti um mesclado de alívio e saudade. Alívio por ver-te serena e bem juntinha a mim, saudade por terem passado algumas horas sem trocar qualquer palavra contigo, sem ver o teu sorriso, sem sentir a tua expressão afectiva e amiga. A noite foi longa, houve momentos que troquei o meu sono pela oportunidade de olhar para ti, bela adormecida, momentos de magia em que pensei agradecer a ARTÊMIS por tu existires, agradecer a AFRODITE por seres tão bela e cheia de amor, a APOLO pela luz que se fez na minha vida ao cruzar os nossos destinos e a HÉSTIA pela harmonia que existe no nosso lar. O meu agradecimento foi direccionado a ZEUS.
Quando acordares, não saberás destes meus rituais, nem tão pouco irei contar-te, não será de todo necessário, porque o importante é existir entre nós a química do sentimento e a telepatia da comunicação, como sinais de fumo ou as trocas de olhares, como as expressões faciais que tão bem conhecemos.
Querida, é tudo isto, e muito mais, que ambiciono dizer-te diariamente e que, por inúmeras razões, nunca te chego a dizer. Hoje decidi escrever-te esta carta para que não passe mais um dia. Tento, por gestos ou atitudes diárias, expressar-te tudo isto, espero que com sucesso.
Se quiseres resumir tudo isto, numa palavra, poderei dizer sempre AMO-TE.

facebooktwittermailby feather