Nota biográfica

Orlando Marques de Almeida Mendes (Ilha de Moçambique, 1916 - Maputo, 1989) foi um biólogo e escritor moçambicano. Licenciou-se em biologia pela Universidade de Coimbra, onde trabalhou como assistente de botânica. De volta a Moçambique, foi fitopatologista e atuou no Ministério da Agricultura como pesquisador de medicina tradicional. Estreou-se na literatura sob a influência do neorrealismo e do movimento Presença.

Orlando Mendes – “Instante”

25.01.2016 | Produção e voz: Luís Gaspar

ilidio_candja
(Pintura de Ilídio Candja)

Então amainou fora da barra o temporal
Lá longe o negro batucou mais depressa
O barco de remos entrou salvo no pequeno porto
a nereida antiga saiu das ondas e cantou afinal.
Se há algum drama nessa noite, não interessa
porque uma estrela desceu do céu e no meu mar-morto
há a luz de Nossa Senhora para os que andam no mar!
A nereida ressurgida nasce a cantar
e a canção enche a terra como um eterno grito
que a voz adormecida atira a todo o mundo!
Então o náufrago quase perdido, aflito
ergueu os olhos do mais fundo do mar profundo
e do mar ao céu viu a luz do farol bendito
porque nessa hora, Nossa Senhora desceu do céu
A tragédia recomeçou talvez depois
mais trágica ainda do que antes de nós
mas nessa hora entre nós os dois
gerou-se um mundo dentro do mundo — tu e eu
ergueu-se, amor, aquela perdida Voz
e então alguma coisa nasceu!

(in «Itinerário»)

facebooktwittermailby feather