Category Archives: Natércia Freire

Foi poeta, contista, jornalista e mulher solitária. Escritora durante os anos em que o Estado Novo queria a mulher em casa. Ostracizada pela Revolução de Abril, Natércia Freire acabou por cair num silêncio imerecido. Deixa um legado poético que merece ser (re)descoberto.

Natércia Freire – “Indefinida”

Oh, poesia de andar suspensa sobre os outeiros! Poesia de correr fundida nos ribeiros … Oh, Poesia de ti, que em mim estás a viver! Oh, Poesia de então, nos jardins, sob o Inverno, pés na lama do chão, e … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Os instrumentos”

Desapareceram os símbolos das cidades, Os instrumentos dos símbolos ainda não desapareceram, É possível que, de repente, de leste a oeste, de oriente a ocidente, Nas paredes, no ar, no solo, nos canteiros, Nos velhos troncos de árvores, Nos jogos … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Um dia”

Um dia partirei, muito cansada, com as lembranças cingidas ao meu peito e uma voz de saudade e de nortada.   (Levarei voz para gemer de espanto. Levarei mãos para dizer adeus… Olhos de espelho, e não olhos de pranto, … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Nos dias imaculados”

Nos dias imaculados Em que ninguém bate à porta, Naqueles dias lavados Em que sou anjo e sou morta, Em que da luz dos desertos Partem chamadas e gritos, E à flor dos olhos abertos Se adormecem infinitos… Tudo a … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Liberta em pedra”

Livre, liberta em pedra. Até onde couber tudo o que é dor maior, por dentro da harmonia jancente, aguda, fria, atroz, de cada dia.   Não importam feições, curvas de seio e ancas, pés erectos à luz e brancas, brancas, … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Canção do Verdadeiro Abandono”

Podem todos rir de mim, podem correr-me à pedrada, podem espreitar-me à janela e ter a porta fechada. Com palavras de ilusão não me convence ninguém. Tudo o que guardo na mão não tem vislumbres de além. Não sou irmã … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off

Natércia Freire – “Areia”

Areia pisada, areia dorida, areia beijada, areia batida, areia doirada, areia estendida, areia rolada, rolada na vida.   Frescura abraçada ao mar que se vai, e os braços crispados pregados num ai. E a areia rolada nos olhos profundos, e … Continue reading

Posted in Natércia Freire | Tagged , | Comments Off