Nota biográfica

Mário António Fernandes de Oliveira nasceu em Maquela do Zombo a 5 de Abril de 1934 e faleceu em lisboa no dia 7 de Fevereiro de 1989. Fez os estudos primários e liceais em Angola e Viveu em Portugal desde 1963. Licenciado em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e doutorado em literaturas africanas de língua portuguesa pela Universidade Nova de Lisboa.

Mário António – “Poema”

17.01.2016 | Produção e voz: Luís Gaspar

fernando_valentim
(Pintura de Fernando Valentim)

Noites de luar no morro da Maianga.
Anda no ar uma canção de roda:
«Banana podre não tem fortuna,
fru-ta-tá, fru-ta-tá…»,
Moças namorando nos quintais de madeira;
velhas falando conversas antigas,
sentadas na esteira;
homens embebedando-se nas tabernas;
e os emigrados das ilhas…,
— os emigrados das ilhas


com o sal do mar nos cabelos,


os emigrados das ilhas
que falam de bruxedos e sereias
e tocam violão
e puxam faca nas brigas…
— Ó ingenuidade das canções infantis,


ó namoro de moças sem cuidado,
ó histórias de velhas,
ó mistérios dos homens,
— vida:
Proletários esquecendo-se nas tascas,
emigrantes que puxam faca nas brigas
e os sons do violão,
e os cânticos da Missão,
os homens,
os homens,
as tragédias dos homens.

facebooktwittermailby feather