Nota biográfica

Nasceu a 22 de Março de 1897, no Funchal. Faleceu a 2 de Março de 1978, em Lisboa. Poeta, colaborador de importantes jornais e revistas da sua época, investigador da história dos princípios do povoamento das ilhas da Madeira e dos Açores, foi também professor. Frequentou a Faculdade de Direito de Lisboa e de Coimbra (1915-1922).

João Cabral do Nascimento – “Natal Africano”

29.02.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Não há pinheiros nem há neve,
Nada do que é convencional,
Nada daquilo que se escreve
Ou que se diz… Mas é Natal.

Que ar abafado! A chuva banha
A terra, morna e vertical.
Plantas da flora mais estranha,
Aves da fauna tropical.

Nem luz, nem cores, nem lembranças
Da hora única e imortal.
Somente o riso das crianças
Que em toda a parte é sempre igual.

Não há pastores nem ovelhas,
Nada do que é tradicional.
As orações, porém, são velhas
E a noite é Noite de Natal.