Nota biográfica

Maria Angélica Salazar Manzarra de Fontes Pereira de Mello. Nasceu em Castelo Branco e passou a infância em Idanha-a-Nova. Viveu alguns anos em Luanda-Angola e em 1975 escolheu o Brasil como sua morada. Em 2012 voltou a Portugal. De formação em Letras, escreveu crónicas e histórias infantis para jornais. Acredita que o Amor impulsiona a Vida e a alegria completa-a.

Gigi Manzarra – “A tua voz”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

A tua voz é um néctar que eu bebo bem devagarzinho…
Melodia doce que me embala, levando meu pensamento por caminhos nunca desvendados. 
Não quero teu corpo, nem teu amor!
 Viajo no espaço, de olhos fechados, escutando o som doce e envolvente da tua voz, que desperta em mim todos os sentidos e me faz sonhar inarráveis loucuras.
 Penetras no mais profundo do meu mundo e ocupas todos os vazios. São minutos de prazer e imaginação, quando te ouço…
 Não preciso falar, muito menos te permitir saber o que sinto. És a fuga errada de um caminho sempre certo, a revolta calada da igual rotina, o segredo escondido na minha vontade que não podes alterar. Eu só quero a tua voz no meu pensamento, dentro da minha vida, por minutos, por horas, por tempo indefinido, o que isso importa? 
Nada deve ser mudado, nada deve ser dito!
 Te amo sem amar e te quero sem querer, misto de uma estranha paixão com sabor ao maior e mais gostoso pecado, irreal e passageiro que não merece nome, prisioneiro invisível da minha mente.
 Proibido e incógnito, te dou o direito de existir dentro de Mim, mas nunca te libertarei para fora do meu misterioso mundo, para não existir a possibilidade de sermos Nós…

facebooktwittermailby feather

Gigi Manzarra – “Requiem a um sentimento”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Jogo através do vento, as dúvidas secretas do meu destino e como sombra sorrateira, procuro nelas a sina escrita do meu amor. Atravesso a ilusão da eternidade e descubro que a labareda ardente que nos consumia, não me queima mais.
 Metamorfose lenta e imperceptível de um sentimento quente embalado nos braços de uma amizade morna, que o reduziu a uma pequena brasa que agora agoniza chorando dentro do meu peito.
 Sopro com força a brasa incolor que ruboriza tímida, sem ter a certeza se quer acender.
 No espelho da alma, a saudade me culpa o coração inconstante de vontade rebelde que não sabe amar. 
Olhando o teu rosto, mergulho neste sentimento tépido e questiono o porquê da minha quente paixão ter-se esvaecido no balanço monótono do tempo.
 Sobressalto o meu coração para acordá-lo, mas é tarde demais e me rendo sem luta a esse sono profundo de um sentimento morno a que o condenei!

facebooktwittermailby feather

Gigi Manzarra – “Prazer”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

A minha mão percorre deslizando, a pele bronzeada pelo sol. Desenha riscos imaginários que deliciam teu corpo moreno e aquecem meu desejo de mulher. Escultura esbelta e quente, que povoa meus sonhos e os transforma em filme colorido exibido só para mim.
 Teus olhos brilham, mergulhando no fogo ardente dos meus, aumentando a labareda alta do prazer! 
O teu perfume, que conheço sem precisar te ver, acorda todos os meus sentidos, ao deixar transbordar a vontade de te possuir.
 Meu corpo estremece numa entrega total, se abandonando ao sabor louco e selvagem de sensações incontáveis que nunca serão iguais. Sou presa fácil e espontânea de um comando que vem de ti, numa voz macia e rouca, que me fala em silêncio, com a força de um grito!
Minutos de êxtase, pedacinhos soltos de sedução, que escreverão na memória, uma folha de vida para não mais esquecer. Tatuagem profunda que rasgou a minha pele, marcando para sempre meu corpo com o teu amor!

facebooktwittermailby feather

Gigi Manzarra – “Goles de paixão”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Embriago-me com o néctar do teu corpo nu!
 Como num cálice valioso, encosto os lábios quentes e sorvo aos poucos, bem devagar, o sabor tão doce que se desprende de ti.
 Permito sem lutar, que os efeitos etílicos se espalhem sem pudor por todos os meus inebriados sentidos.
Perdida no lascivo mergulho…e já bêbada de ti, em êxtase, prisioneira e algoz, te uso e me entrego a esse mágico encantamento de uma insidiosa e desmedida paixão, que transforma o vermelho do meu sangue no precioso néctar que roubo de ti.

facebooktwittermailby feather

Gigi Manzarra – “Escuta o silêncio”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Chiiiiuu…
Não fales, somente escuta…
Escuta o silêncio que se desprende dos olhares, dos gestos disfarçados, das palavras não ditas.
 Escuta os sentimentos que não necessitam de som para serem ouvidos.
 Afasta a errónea ideia de que o certo é o que foi estabelecido por outros, que assim seria.
 Entrega-te sem reservas ao que as batidas do teu coração sussurram docemente.
 Grita como desabafo no alto de um monte e permite que a brisa morna carregue no seio os teus segredos. 
A seguir fecha os olhos, abstrai-te e mentaliza um mundo invisível de mistério, onde todos os problemas têm um final feliz. 
Escuta o teu espírito livre das correntes do corpo e deixa que ele voe pelos campos da vida. Não o amarres, nem dês a ninguém o poder de fazê-lo.
 Escuta os pássaros, que na sua sabedoria não falam, atravessam a vida cantando…
Permite que a gargalhada ecoe na claridade do teu dia, apesar da opressão do escuro da noite anterior.
 Acredita, acredita sempre que tudo é possível, até que o impossível bata na porta e entre sem ser convidado. 
Chora quando for preciso, com a condição de que essas lágrimas limpem e vertam até extinguir todo o sofrimento em cada gota.
…Mas acima de tudo ….não fales agora, somente escuta….

facebooktwittermailby feather

Gigi Manzarra – “Insegurança adulta”

13.02.2013 | Produção e voz: Luís Gaspar

Coloca tua mão sobre a minha cabeça, afaga meus cabelos e conta-me uma história bonita com final feliz.
 Sussurra-me no ouvido uma doce música de ninar até o sono se aproximar de mansinho.
 Afasta para bem longe o lobo mau e todos os outros vilões que teimam em atormentar a minha vida.
 Faz com que o amor desenhado no teu sorriso puro, seja a bandeira da nossa antiga história.
 Sê meu príncipe encantado, montado num cavalo branco, bramindo uma espada que brilha à luz do sol e ofusca com valentia as minhas dúvidas e medos.
 Não permitas que a sombra se esgueire pelo labirinto da claridade dos meus sentimentos. 
Defende-me de todos os males e agruras…
Defende-me principalmente de mim!!

facebooktwittermailby feather