Nota biográfica

Nasceu em Cascais em 1961. Colaborou no DN Jovem e no Jornal de Letras. Em 1990 recebeu o Prémio Inasset Revelação de Poesia do Centro Nacional de Cultura. É publicado em Espanha por revistas literárias e editores independentes.

Fernando Esteves Pinto – “A ausência…”

25.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

A ausência é um desejo do silêncio.
Um encontro incomunicável do corpo com as coisas.
Como escutar os sons do leite na profundidade dos seios.
Libertas o pensamento lentamente à espera do dia.
Vem das sombras crescendo o lugar da dúvida.
Dos olhos começa a distância do caminho.
Aqui nasce o tremor das pálpebras,
os anéis da claridade lenta.
A legibilidade fria do vazio.
Através do contacto físico do corpo
subsiste a impenetrável construção do poema.

Fernando Esteves Pinto – “Começamos…”

25.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Começamos por abandonar as palavras,
mas nunca aquilo que pensamos.
O pensamento incendeia-se no silêncio, faz o seu trabalho.
Aceitamos e rejeitamos e é isso que constrói o pensamento.
É neste equilíbrio que permanecemos.
Estar imóvel é ir além do lugar onde estamos,
olharmo-nos de lá para cá, de dentro para dentro.
Abandonamos as palavras, mas nunca o pensamento

Fernando Esteves Pinto – “Ele abre um livro”

25.01.2012 | Produção e voz: Luís Gaspar

Ele abre um livro
e com um sopro trémulo transforma as palavras
em lugares luminosos.
Ele faz caminhar o fértil desejo
por uma rua da sua cidade.
Ou fecha-se em casa como um bicho de contas
redondo e imóvel, desafiando lentamente
os tempos luxuriantes,
os largos silêncios que lhe fecham todas as portas.