Nota biográfica >>

Graça Pires (Figueira da Foz, 22 de Novembro de 1946) é uma poetisa portuguesa. É licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Editou o seu primeiro livro em 1990, depois de ter recebido o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com o livro Poemas.

Graça Pires – “Sonho”

07.01.2012

Todos os dias me descubro

personagem de uma fábula

de sílabas e barcos,

entrançando as veias

no joelho da terra

como urzes incensadas no vento.



É quase eterna a raiz,

do corpo ou do mundo,

no tom húmido que agasalha

a semente, quando a erva cortada

se respira no sonho exausto

das árvores disponíveis.



Rodopio no emaranhado das sombras

que tocam os meus pés

e sobrevoo o chão movediço

que brilha nos meus olhos

como uma âncora ou um abraço.



Há um voo incerto na fita negra

enroscada, ao nascer, nos meus cabelos.



Pela vertente da tarde

deixo rolar as emoções,

desmedidamente,

como quem desvenda

os ângulos do improviso,

até à mutação perfeita da tristeza.



Presos ao lugar de nascer

não seremos os mesmos,

porque o grito das nuvens

há-de derreter o barro

que nos prende,

ou transformará em granito

o prolongamento do silêncio.



Conheço o oblíquo movimento dos pássaros

no pulsar perturbado do meu corpo,

quando é de musgo a periferia de um bosque.



Porque sou a significação extraviada do poema

é que os meus olhos se acendem na fragilidade.

facebooktwittermailby feather
15921592