Nota biográfica >>

Judite dos Reis Ramos Teixeira ou Judith Teixeira (Viseu, 25 de Janeiro de 1880 - Lisboa, 17 de Maio de 1959) foi uma escritora portuguesa. Publicou três livros de poesia e um livro de contos, entre outros escritos. Em 1925 lançou a revista Europa, de que saíram três números. Exemplares do seu livro Decadência (1923) foram apreendidos, juntamente com os livros de António Botto (Canções) e Raul Leal (Sodoma Divinizada), e mandados queimar pelo Governo Civil de Lisboa na sequência de uma campanha contra "os artistas decadentes, os poetas de Sodoma, os editores, autores e vendedores de livros imorais".

Judith Teixeira – “Outonais”

25.01.2012

No meu peito alvo, de neve,

as claras pétalas dos teus dedos,

finas e alongadas,

tombaram como rosas desfolhadas

à luz espásmica e fria

deste entardecer…

E o meu corpo sofre,

ébrio de luxúria, um mórbido prazer!

A cor viva dos teus beijos,

meu amor,

prolonga ainda mais o meu tormento,

na trágica dor

deste desvestir loiro e desolado

do Outono…

Repara agora, como o sol morre

num agónico sorrir

doloroso e lento!…
Noite… um abismo…

sombras de medo!

Tumultuam mais alto os teus desejos!

Sobe o clamor do meu delírio

e a brasa viva dos teus beijos,

num rúbido segredo,

vai-me abrindo a carne em sulcos de martírio!

facebooktwittermailby feather
29722972