Nota biográfica >>

Os textos apresentados nesta página foram publicados e copiados do livro "Rosa do Mundo - 2001 poemas para o futuro" editado pela Assírio & Alvim com direcção editorial de Manuel Hermínio Monteiro. A música que serve de fundo a estes textos é de autoria de Luís Pedro Fonseca e amavelmente cedida ao Estúdio Raposa.

Lenda – “A Origem do Homem”

17.05.2012

Povo Selk’nam da Terra do Fogo

Chegado à terra depois de percorrer os recantos do universo, Kenos descansou. Na altura, era um ser só e a própria terra não conhecera ainda outra criatura que não Kenos. Olhou em seu redor e notou que toda a terra era um enorme terreno pantanoso. Tomou então um punhado de terra húmida e com ela esculpiu o sexo masculino. Satisfeito com o resultado, tomou de imediato outro pedaço de terra e esculpiu o sexo feminino. Exausto, deixou as suas criações lado a lado para que secassem durante a noite e foi dormir. Durante a noite, as esculturas de areia uniram-se e engendraram qualquer coisa como um ser humano. Este ser cresceu rapidamente e fez-se adulto num só dia. Afastados durante o dia, os dois sexos voltaram a unir-se na noite seguinte e daqui nasceu o segundo homem. Assim foi durante muitos dias; as esculturas de terra húmida separavam-se durante o dia e voltavam a unir-se à noite, trazendo à vida novas criaturas.
Chegou uma altura em que a terra estava já povoada de seres humanos e os homens haviam finalmente aprendido a fecundar as mulheres. A partir de então, os seres humanos pareciam não querer outra coisa senão reproduzir-se e a terra cedo ficou sobrepovoada. Então, Kenos, o Pai do homem, resolveu intervir. Inquietado com a situação, o criador perguntava-se o que fazer. Surgiram-lhe apenas duas opções. Ou privava os seres humanos do poder da auto procriação ou teria de arranjar forma de lhes dar um espaço maior. Decidiu então usar as suas forças para erguer o céu que pesava sobre a terra. Assim fez e é a Kenos que os homens devem o espaço que hoje têm para se mover e a liberdade de procriar.

Trad.: Manuel João Magalhães

facebooktwittermailby feather
48064806