“Peregrinação” de Fernão M. Pinto – XI Capítulo

12.08.2010

Tinha dado uma hora depois da meia-noite quando avistámos no adro do pagode grande, jazigo dos reis, fogos, muitos fogos, que pareciam caminhar e fazer sinal uns aos outros. Nós estávamos ancorados um tiro de falcão a distância da ilha, e perguntámos aos chins o que poderia significar aquilo. Responderam eles que nos haviam sentido com toda a certeza e, portanto, o mais aconselhável era fazermo-nos à vela sem mais detença.

Audiolivro produzido pelo Estúdio Raposa e lido por Luís Gaspar. Adaptação de Aquilino Ribeiro.

facebooktwittermailby feather
13331333