Nota biográfica >>

Nascido em Lourenço Marques, no seio de uma família goesa. Apoiou a candidatura de Norton de Matos e foi preso três vezes pela Pide (1950-1953). Da última vez, esteve preso por cinco meses, acusado de militar em defesa da paz. Passou pelo ensino particular até ser proibido de ensinar e trabalhou na publicidade.

Orlando da Costa – “Canto Civil 2”

10.12.2012

Soldado raso

ao cimo da calçada
 
em guarda
 
de flor e farda
 
a flor que te damos
 
é pão da madrugada
  
É pão amassado
 
sem liberdade
 
é gesto de guerra
 
em nome da paz.
 
É flor de canção
 
em terra mar e ar
 
rubra flor popular
 
num só cano de espingarda
  
Soldado raso
  
em sentido na memória
 
lembra-te de novo e sempre
 
a flor que te damos
  
é da terra é do povo

é pão da madrugada.

facebooktwittermailby feather
55255525