Nota biográfica >>

Arredondou a barriga da mãe há 51 anos. O sol de Angola brilhou à sua chegada. Já roída pela saudade voltou a Portugal. Como muitos... como muitos... Deambulou, buscando poiso. Encontrou-o no local onde o Cávado enche a barriga do mar. Em Esposende amou, teve 4 filhos e maturou as palavras. Perdeu... cresceu...chegou à idade da madureza. Em 2007 lançou "Vozes do Vento". Talvez atordoada com as rajadas do vento norte,Encantada pela suave modorra das águas prateadas do rio,Dois mil e oito aparece-nos com as palavras aguareladas pelo Henrique do Vale.Esta Mulher, Mãe, Amante, Poeta, é Ana Paula Lavado. (Palavras da autora)

Ana Paula Lavado – “Vem devagar…”

10.04.2012

Vem devagar sobre meu leito
Entrega tuas mãos ao meu corpo
E desfolha-me lentamente
Numa doçura desdobrada.

Desliza entre o meu ventre
E navega entre pétalas cerradas
Onde o silêncio em vertigem
Me faz em água dilacerada.

E no desejo anoitecido
Adurirei o beijo da tua boca
Na minha boca queimada!

facebooktwittermailby feather
45924592