Nota biográfica >>

Fez os estudos liceais em Braga e estudou Direito na Universidade de Coimbra, concluindo o curso em 1883. Em 1886 ingressou na carreira diplomática. Como poeta, António Feijó é habitualmente ligado ao Parnasianismo.

António Feijó – “Pálida e loira”

08.01.2012

Morreu. Deitada no caixão estreito,
Pálida e loira, muito loira e fria,
O seu lábio tristíssimo sorria
Como num sonho virginal desfeito.

– Lírio que murcha ao despontar do dia,
Foi descansar no derradeiro leito,
As mãos de neve erguidas sobre o peito,
Pálida e loira, muito loira e fria…

Tinha a cor da rainha das baladas
E das monjas antigas maceradas,
No pequenino esquife em que dormia…

Levou-a a morte na sua graça adunca!
E eu nunca mais pude esquece-la, nunca!
Pálida e loira, muito loira e fria…

facebooktwittermailby feather
17981798