Luís Lima sobre “Lugar 101”

11.03.2009

Caro Luís, esta noite ouvi poemas [do n. 101]. Embora tudo o que escrever de seguida seja insuficiente, não posso deixar de o fazer. Que bom… que bem nos faz, me faz… escutar… ouvir… sentir, perceber o que, afinal, gostaria de ler e captar no dia a dia em forma de poesia: as minhas palavras na sua linda e inconfundível voz, na sua dicção “limpa” e cativante. Fico lisonjeado e agradecido por ter o meu trabalho veiculado no Estúdio Raposa. Falar do Estúdio Raposa é por conseguinte, falar de tudo o que lhe está subjacente. É falar de Luís Gaspar e do projecto que acarinha, ao qual dá voz e uma imensidão de partilhas que, sem qualquer tipo de contrapartidas, difunde de forma completamente altruísta. Só com essa voz, e com a capacidade que tem de interpretação, se consegue dar o ênfase que deu aos meus textos. Houve momentos em que me arrepiei, confesso.
Agradeço aos autores as frases respigadas e acima grafadas:
Renato Costa, Paulo Afonso, António Cruz, Leonardo Jorge Pereira, Otília Martel, Luís Mendes (a ordem é aleatória).
Um abraço sentido (e partilhado)!
Luís Lima

Facebooktwittermailby feather
757757